domingo, 16 de abril de 2017

Nunca volte - Nicolas Santos

Fica. A van-guarda do egoísmo transmite seus valores e estes se alastram, de janelas que viram pessoas saltar, de bocas que seguraram, a língua. Quem segura o sol nas mãos? Completo domínio é autoridade, disso e daquilo não quero, tampouco espero, consideração, prefiro o café. Cada um com sua consciência, escolher é possibilidade a todo o tempo, vossa ciência é a liberdade, dentro das possibilidades. Aqui estamos. Teu repertório é descondensado junto as nobrezas da realidade, consigo e contenho, mesmo que seja invenção, estou capacitado ao que vier. Disseram, quando se calam? Isso não atrela angustia ao meu coração desguarnecido. Antigamente, brigar era mais do que poético. Interpretem a incredulidade, deixaram de olhar para o céu, é o sol, assumimos a culpa e devastamos a fortaleza dos incompetentes. A recompensa está declarada. A primeira nuvem que passar, será de nosso domínio, eu asseguro que nada lhe oferecerei, sinceridade é o que não esgota-se do meu devir. Indisciplina causa euforia, quantas revoltas morreram por bom comportamento? Consta que a lua tem seus valores, eu escolho livremente. Que a escuridão não falhe. Ao amanhã, odes incontáveis, mesmo assim, sou adepto dessa doença incurável chamada passado, agora que tens por quem ir, vá sem volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário