domingo, 1 de janeiro de 2017

Sem revisão - Nicolas Santos

Você é uma decepção. A chuva não cessou por um minuto, nem precisaria, hoje a gente acorda desejando mais ontem, amanhã quem sabe como hoje ? Eu não arrisco. Acaso eu não esteja em perfeito estado, será o caso atual, equilíbrio não favorece a sentença, minha cabeça a beira do surto. Nasce de si mesma e divide o tal do amor com os que pedem, sou desordem social, estudado por décadas, estatizado jamais, livre, livre. Não explico. Independente dos acontecimentos e daquilo que hoje nos falam, continuo em mero devaneio a respeito das respeitosas opiniões, acaba rápido. Quando relaciono o que atuo. Relaciono teu afeto impróprio ao descabimento da forma, segue em suma, hoje eu preciso mais ainda de você. Substâncias ilícitas considerariam forma se conhecessem a merda que são teus olhos, sua pele me faz doer, ossos racham, eu submerjo, amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário