domingo, 15 de janeiro de 2017

Realidade dói menos quando não sentida, o problema está mesmo em viver - Nicolas Santos

Em termos históricos, eu sou a mentira mais bem contada das ultimas décadas, decepcione-se ao seu favor, preciso gostar de alguém. Não seja inofensivo ao saberes, fundamentação faz-se vital, agora temos o processo em mãos, as minhas eu lavo e conto ao favor deles. Crio inimizades e fomento a queda de favores que faço sem interesse maior, eu usaria outras palavras, mas deixemos os entendidos, perdidos. Decepcionaste-me, tudo bem, observemos nossas cosmovisões e garantamos um futuro incerto e cheio de certezas, desconstruamos. Correspondo, porém liberto, quão valorosa é uma escolha ciente de si? Imensidão é imensurável, do azul do céu ao azul do mar. Exerço a metafísica, absorvem, oriundos do universo e dele, formadores, discutam epistemologicamente, rituais cabalísticos. Alargamos a consciência, preocupados com a ontologia e com a liberdade que nos cercearam, quem será? Eu acredito no espaço. Interpelo, coloco-me em ação e junto destas, levanto tais provocações, meu papel, não apenas este, mas também este, acredito veemente. Atiremos frente a sociedade os assuntos que movimentam a mesma, nada que está estagnado sai com qualquer brisa, a revolução precisa de pés. Testemunho a complexidade e nessa integro-me, tão difícil de entender que seria melhor aprender, esquecer já não se torna optativo. Sonhei que beijava-a, logo afastando-se e apontando o dedo, realidade dói menos quando não sentida, o problema está mesmo em viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário