domingo, 9 de fevereiro de 2014

O bem estar é não estar - Nicolas Santos

Descontextualização de vivências humanas, processos que interligam os seres graças a mecanismos não convencionais. A existência antes de tudo é algo que não pode ser direcionado, o projeto específico baseia-se em consequências de atitudes nem sempre convictas, o devir da dúvida. A aceitação da deterioração é um novo ponto que transcende o ser e o gratifica na medida que finaliza o próprio termo, finalização como processo medial. Existe receio de uma nova ordem que vos condene ao mundo, utilização de moldes escassos e formulados graças a interesses pessoais de outrora. Poemas são uma abstração para si, consigo mesmo, vistos de longe pelo mais proximal ser da obra, o autor. A etimologia por si só, nos explica um terço das coisas. A dificuldade dos laços se dão graças a desinteligências impostas francamente por conspirações de auto-prejuízo. O aumento da tecnologia abre espaço para a falta de responsabilidade individual, culpa-se o próximo e as falhas do modelo imposto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário