domingo, 10 de fevereiro de 2013

Belarus - Nicolas Santos

É, está. Isso que fica implícito nos meus dias e vida, isso que ganha um contorno exageradamente tranquilo, fins, de semana. Demoramos um pouco, mas toda demora é adequada, nesse tempo inválido e insensível que pratica. Demorei um pouco. Logo estava arrebatado por crises e paredes sem cor, maltratando diálogos, logo estávamos, você que pouco percebe, desdenhou, continuo com as tuas crenças e manias, músicas e sonhos, houveram pedidos particulares, seriam aceitáveis, levando em conta as somas destes que parecem te deixar bem. Conheceste-me, panfletos, dedos empoeirados que arrastam-se de um lado a outro do piano, canções mortas, vidas vagarosas, doenças e tentativas que sugerem a falta de paz. Equilibrou-se dai, perdi abraços, perdi a sua compreensão, aquela que retribuía carinho das pedras atiradas. Estou tentando ficar longe de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário