domingo, 16 de dezembro de 2012

Olha, desculpa - Nicolas Santos

Essas são só algumas palavras. Cuspidas nesta velha folha, escolhi um caderno qualquer, este tem uma capa interessante, é certo que esta gasta, gasta pelo tempo, as folhas estão todas rabiscadas, equações, regras linguísticas, biologia, enfim, encontrei uma para tal missão, desabafar e isso não é sobre o velho caderno e todas as pessoas que escreveram nele e eu nem sei mais quem são. Isto vai além, nem tanto, essas cortinas que pouco combinam com a janela perfurada me afligem, essa foi a desculpa inicial para dizer o que sinto, aflição ? Aflição, aflição é, pois qualquer gesto seu que longe dos meus olhos parece tomar uma proporção alarmante e incrível, mata-me aos poucos, sua boca é tudo que deriva do meu mar, afogo-me e sinto a sua falta. Falta que não é. Mas é isso, eu não sei de nada, só sei que meu coração anda apertado e essa cortina merece ser rasgada

Nenhum comentário:

Postar um comentário