domingo, 30 de setembro de 2012

Você que se dane - Nicolas Santos

Bom, desta vez é definitivo. E essa é uma historia que mereceria manchete e algumas semanas nas mais tocadas, mas tristemente, essa é uma história que se dá em uma cidade pequena e que não tem a menor importância dos que vêem de longe e dos que interagem com ela por puro mau gosto, se data em qualquer dia de um começo de ano e vem se arrastando, friamente, isso incalculavelmente foi destruindo e deixou. Pois felizmente vemos que as coisas realmente mudam, isso não tem um lado positivo, mas deixemos o felizmente, para dar um tom alentador e isso ser uma das únicas coisas bonitas, nesta lamentação, algumas discussões se deram e você por questões próprias se afastou, talvez não tenha notado o quão doloroso foi pra mim e o que eu mais gostava nisso tudo, era deitar no seu ombro, na minha cabeça, essa sim era a coisa mais legal do universo, alguns toques e arrumações também ocorriam, fingia não dar muita bola, esse era o meu jeito tolo de esconder o que todos sabiam. Então você se foi, como uma dessas brisas que passam por nossas vidas e nem nos convidam para um café mais amargo, mexeu com o meu quarto em uma terça a tarde e fez dela a mais dura da minha vida, onde eu me rasguei e desejei nunca ter nascido, pois o pranto suicidou-se e renasceu na minha face, algumas vezes, tudo por questões que as vezes se medem sem sentido, é claro que eu já pensei em te agarrar pelo braço e dizer : qual o seu problema, eu penso em você todo dia, é tão difícil pra mim, acordar em você, beber em você, alimentar-me em você, dormir em você e fechar os olhos pra devanear que tudo isso um dia será real. É claro que eu já pensei em te agarrar pelo braço e não dizer nada, apenas forçar um beijo e esperar a sua resposta, que poderia ser recíproca ou um golpe, sem metáforas. O arriscar não corresponde à mim, fazem poucos graus lá fora e agora foi definitivo, não sou o guitarrista de nenhuma dessas bandas que você anda esquecendo, embora o meu cabelo esteja crescendo sem parar e a barba também, se eu pudesse escolher, eu gostaria de ser o seu par

Nenhum comentário:

Postar um comentário