domingo, 17 de junho de 2012

Solos de sozinhos - Nicolas Santos

Dias que nunca chegam. Dias que demoram a passar e toda demora, me atormenta e me joga, de frente a um espelho, um espelho que questiona, ” por que diabos, ela te escolheria ?” Deixo o espelho e o que sinto sem resposta, deixa assim. Pois tudo que eu sou e penso, vira uma maldição, maldito seja o momento em que eu acordei e te perdi. Perdi por 2 meses, talvez menos, talvez mais, talvez eu nunca tenha te perdido, isso me conforta de algum modo, modo esse que não vem em um manual estúpido, como esses de tv e de ciúme, não existe regra ou trilha a ser seguida, talvez só as sonoras, quem sabe, nos encontremos, você em minha voz e eu em sua boca. Seu cheiro está impregnando a minha vida, saia de mim, mas vá com cuidado, não me parta ou quebre. Só vá, depressa. Pressa é algo que não tenho, sou interessante, após a meia noite, ou dando conselhos amorosos, para quem não sabe amar, amor não é falado, não é idealizado, só é sentido, eu não sinto nada por você, mas te idealizo ao meu lado, em uma tarde de terça-feira, não feche os olhos, é só a vida real, me ame mais do que solos de guitarra

2 comentários: