domingo, 13 de novembro de 2011

Só sentir - Nicolas Santos e Leysliane Sales

Não tem mais para onde fugir.
Eu já procurei por todo lugar e eu não encontro nada.
Eu já saí gritando na rua, mas ninguém me responde.
Meu eco é a única coisa que fala comigo.
E sabe aqueles que me amam?
Eles se perderam de mim, só pode ser isso, porque eles se foram, nunca estão aqui.
Aquela palavra mágica chamada amizade não parece mais ter significado, não há ninguém para provar que ela é real.
Eu não encontro nada, talvez seja eu que esteja perdida, encurralada em um beco sem saída ou apenas cega.


Talvez eu nunca saberei exatamente o que procuro e o que sinto, talvez eu nunca saiba de nada, mas procuro ainda, procuro pela minha esperança, devo ter deixado ela para trás em algum momento.
Procuro por alguém sem nome, alguém sem rosto, alguém sem cheiro, alguém que não sei se existe, mas procuro, e me deito, me canso, me entedio e tudo é sempre igual.


E tem aquela coisa de lutar para alcançar alguma coisa, mas só eu faço isso, só eu me esforço e nada sai do lugar, eu fico sofrendo, as lágrimas vem e caem sem nem pedir, as pessoas vem e pegam o que querem de mim e não me resta nada.
Eu não pude escolher o que teria, eu não posso escolher o que ser, mas ainda assim eu tento, fracamente, caindo aos pedaços, me transformando em cinzas.
E a cada segundo parece que estou mais só.
Não tem nada ao meu redor, não tem ninguém pra dividir o silêncio comigo.
Eu fico sentindo falta das coisas mas eu nem posso dizer com certeza que um dia elas realmente aconteceram.

E a cada dia eu estou mais só, mais eu, mas eu ainda tento encontrá-la, encontrar o que? Não sei, só tento, quero dias melhores, que tudo volte a dar certo, quero que meu passado se torne o meu futuro, só quero.


E eu sei que alguém vai vir me dizer que eu não tenho o direito de querer, cobiçar, desejar. Eles podem tirar tudo de mim, mas eu não deixo tirarem o que há dentro de mim.

O que há dentro de mim eu já tirei, tirei tudo que me fazia mal, agora tento colocar coisas boas, coisas que eu gosto de fazer, que eu gosto de ser.

Aqui ninguém mexe mais, já me destruí demais, o presente não está acontecendo, parece loucura, mas eu quero logo o meu futuro, ou talvez o passado, não importa, eu só quero saber novamente o que é sentir.

Só quero poder sentir, sem medo, sem erro, só sentir.


4 comentários:

  1. Eu não sentia nada, mas eu tentava, bem sei o quanto tentava.
    E de tanto tentar um dia as coisas melhoram, parece impossível ter o tempo de volta, mas você consegue o impossível, porque você acredita.
    Parece impossível sorrir, mas alguém a 2369 km de ti te dá uma palavra a mais e as coisas começam a fazer sentido.
    Você chora, você sofre, mas você sente.
    E então descobre que o verdadeiro amigo pode não estar no seu abraço, mas só de estar detrás de uma tela e se importar com você, ele já é a salvação da sua vida.
    Dói não conseguir sentir, machuca quando dói, mas sempre tem aquela palavra que cicatriza todas as feridas.
    Você vai se sentir perdida, mas lembre de olhar para todos os lados do beco sem saída.

    Sempre maravilhoso escrever com você Nick, me faz chorar, me faz pensar, mas principalmente me faz voltar a viver :)
    Obrigada por fazer parte da minha vida *-*

    ResponderExcluir
  2. "Quero dias melhores, que tudo volte a dar certo, quero que meu passado se torne o meu futuro, só quero. Já me destruí demais, o presente não está acontecendo, parece loucura, mas eu quero logo o meu futuro, ou talvez o passado, não importa, eu só quero saber novamente o que é sentir."
    Lindo, como sempre.

    ResponderExcluir
  3. Sempre tão lindos teus textos, como eu gosto de ler eles *----*
    Beijo querido!


    @estefani_ , http://estefanimachado.blogspot.com - http://a-cartanagarrafa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Você pode ajudar um amigo, um desconhecido, quem você quiser. Faça-o agora, enquanto pode. Amanhã talvez a pessoa canse de esperar e sua ajuda não terá mais efeito.
    Não simplesmente destrua, faça o que tem que ser feito para melhorar a vida de quem ama.

    ResponderExcluir