domingo, 13 de janeiro de 2013

Exatamente - Nicolas Santos

Assim, onde eu possa te ver. Onde a dor de qualquer coisa que por pressuposto poderia ser dividida, encontra um olhar desses que protege mais expõe, expõe mais do que qualquer outra coisa desse mundo, a minha débil fragilidade. Fragilidade que joga com o humor e faz desabar. Grande coisa, sorriso que mata e abisma, abismo-me e fotografo mentalmente isto, sei que posso editar, quem sabe. Eu sei, mas e você ? Sejamos sinceros, perceba que por perto é melhor e fazemos um par desses que envelhecem no coração, envelhecem em canções, empecilhos existem. Mas, te mereço.
“Você que como um anjo ensina ao respirar, desse jeito mansinho e halito doce.”

Um comentário: