domingo, 6 de maio de 2012

Ah - Nicolas Santos

Todos os amores que se vão, são amores que não fazem falta. Todos jamais foram amores, foram apenas uma emoção furada de um dia sem graça, um dia onde você se tranca no seu quarto, fecha a cortina, liga o ventilador e ouve a paz cantando músicas deprimentes, musicas que de um jeito inexplicável, enchem o quarto de paz. Uma paz tão linda de ser quebrada no momento onde o sonho, cai da ponte, aquele momento em que risadas te pertubam. Enfim, me disseram que amar não mata ninguém, não sei, pois ainda estou vivo e sem amar, mas de um jeito tolo, as suas palavras sem esperança, me dão motivos para seguir, eu me engano e sorrio á toa, sorrio pela esperança desastrada, aliás, que desastrada você, derramou a sua vida na minha, agora não poderei mais limpar as manchas de sangue do tapete e nem as de amor, da alma, amor mentiroso. Eu só queria dois dias e meio contigo, duas horas a mais e duas semanas a menos, esqueça, minha péssima noção de tempo e a minha aparência que já está se apagando da visão do teu sorriso, eu acho que te amo, mas agora estou morto

2 comentários:

  1. "sorrio pela esperança desastrada, aliás, que desastrada você, derramou a sua vida na minha, agora não poderei mais limpar as manchas de sangue do tapete e nem as de amor, da alma, amor mentiroso."

    Esta é a melhor parte, para mim.
    Adoro o jeito que tu escreves, Nick, continue assim.

    Lembranças e cheiro de fleur.

    ResponderExcluir
  2. Lindo como sempre e triste também :S...amor é uma coisa chata e estranha, nunca conseguimos tirar de nós por mais que a gente insista e se passar...bem...se passar não é amor

    Bjsssssssss

    ResponderExcluir