domingo, 1 de abril de 2012

No mundo, por ninguém - Nicolas Santos

A gente se engana que é pra sempre.

Acha que aquele olhar ou aceno irão durar por 25 anos, que aquele abraço ou beijo irá nos completar por toda a vida, mas as vidas mudam, se cruzam, caminham e se trombam, as pessoas amam várias pessoas ao longo de suas jornadas, amam hoje, para esquecerem quem amavam ontem, amam desesperadamente, sem nem saber o que é amor.

Não sabem nem os nomes científicos das árvores, não sabem porque chove, nem se quer sabem o quão lindo é ser vazio, por isso eu não tenho muitas coisas, agora me defendo com frieza, mudei, quando mais novo me armei de inteligência para sobreviver ao inferno, agora mudei pra procurar o céu, não um azul, um cinza mesmo e frio, que combinem com meu olhar vazio.

Um aceno dura em média 3 segundos, um olhar apenas frações imperceptíveis de tempo, um beijo ou um abraço, não sei.

Acho que estou meio perdido quanto a sentimentos, mas só quanto aos sentimentos, amando menos, não amando, não querendo, apenas guerriando nessa guerra que tem um fim, mas que não vale nada

“Here’s my prediction.”

Um comentário: