sexta-feira, 4 de março de 2011

Promessas, palavras, talvez - Beatriz Fagundes

Promessas, palavras, talvez.

Talvez um dia, quando o sol deixar de brilhar, eu deixe de pensar em você.

Sabe, já cansei da rotina de acordar e dormir pensando, querendo, amando. Machuca, corroi, cansa, mas faz querer, faz lembrar.

Prometi que lutaria ate o fim pra fazer você feliz do jeito que eu sempre quis, prometi que eu seria a melhor pessoa do mundo, mas não pro mundo, pra você.

Eu falei que eu iria te dar aquele presente que você sonhava, que eu ia dar o melhor abraço de toda a jornada, os melhores momentos até aqui. Falei que nunca ia esquecer nenhuma palavra que me dissesse nem que eu tivesse que escrevê-las e ler todo dia.

Pedi que não me magoasse, que fizesse o possível ate onde desse pra me fazer feliz também, sem cobrança, sem pressão, apenas pedi. Te deixei livre pra fazer o quisesse, sair e voltar só no outro dia, não me ligar, não me atender. Te deixei livre demais. Te perdi.

Onde você anda agora? O que você esta fazendo? Ta tudo bem? Me preocupo com você, como se você se preocupasse comigo. Mesmo sabendo que talvez e nunca mais são a hipóteses mais pensadas, eu ainda aguardo o meu pra sempre.

Mas olha, talvez tudo isso que eu escrevo agora não sirva mais pra você, talvez sejam promessas pra alguém que esta entrando na minha vida, e que eu não quero deixar sair. Talvez seja pra uma pessoa que também já passou por mim e deixou pegada.

Só espero que quando você acordar desse sonho, você me abrace e me acorde também, temos muita vida pela frente.

3 comentários:

  1. É incrivel como vocês conseguem transmitir tudo que estou sentindo *o* Vocês são demais, sério. AMO tudo que escrevem !

    ResponderExcluir
  2. É sempre assim, fazemos planos, criamos expectativas, mas aí as promessas são quebradas e se tornam vazias. As pessoas brincam de cumprir promessas,apenas brincam.

    ResponderExcluir