sexta-feira, 13 de maio de 2011

passa tudo, menos você - Beatriz Fagundes


Se lembra daquele dia, que eu olhei nos teus olhos e falei “eu amo você, os outros são outros e só!” ?  Então, eu acho que aquilo foi mais verdadeiro do que eu pensei ser.
Foi mais forte que eu, e ver o teu sorriso naquele momento me fez a pessoa mais feliz da festa toda. E depois daquela hora, o meu corpo, o meu pensamento, o meu coração, tudo fez com que você fosse a única que portasse na minha vida.
Hoje já fazem mais de oito meses que esse dia passou, já passaram outras pessoas na minha vida, já perdi dias e noites pensando em onde e como você estaria. Mas uma coisa nunca mudou, eu nunca deixei de te amar.
Talvez porque mesmo sabendo tudo o que você faz, tudo o que você deixa de fazer, como você pensa e como você gosta de viver, eu nunca deixei que os outros te julgassem, eu nunca aceitei que me falassem que você não era a pessoa certa pra mim. Nunca ninguém vai entender porque eu gosto de você, porque ninguém te conhece como eu, eu conheço os teus dois lados, eu amo os teus dois lados.
Se as palavras que eu te digo são em vão, tudo bem, não importa se não faz efeito algum pra você, o que importa é que são sinceras, são de dentro.
Não te desejo por ser bonito, não sinto sua falta a toa.
Sempre me pego pensando naquele acampamento, que nos ficamos sentados ali juntos, abraçados pra aquecer um ao outro por conta do frio que fazia, do jeito que você alisava o meu cabelo e dizia que me ama. Pensando no nosso primeiro beijo, no medo que a gente tinha de não dar certo. No dia que você falou que não dava mais, e depois mandou tudo pro espaço só pra ficar comigo.
Até parece exagero todo esse meu sentimento mesmo depois de tudo que aconteceu, mas, pra mim, isso é normal, isso é melhor que qualquer outro sentimento. Já falei milhões de vezes, você é diferente, e eu amo você justamente por isso. E tudo bem que não seja mais tudo o que foi antes, ainda ter você do meu lado, mesmo que na amizade, mas faz bem.

Um comentário: