sexta-feira, 11 de março de 2011

amor não é possesão - Beatriz Fagundes

Ta tudo escuro, eu não sei onde eu to indo, eu não sei onde eu vou sair. Me ajuda, me da sua mão, eu to com frio, o sol não me alcança. Ta mexendo, toda hora aperta depois da um espaço. Eu não sei o que eu to fazendo aqui, me ajuda a sair, me ensina como faz.
Eu to presa, não encontro a saída. Que lugar é esse? Porque não tem mais ninguém aqui comigo?  Eu só ouço a tua voz, e você não me diz o que fazer. Eu preciso de ajuda, só você não reparou ainda. Gritar não adianta, alguma coisa sufoca a minha voz.
E quando eu sair, aonde eu vou parar? Tem muito tempo que eu to aqui, eu tenho medo de ir la fora agora, eu não sei. Confusão, é isso. É nisso que você me colocou. Agora eu sei onde eu to e porque eu quero mas não consigo sair.
Eu to no seu coração, e você não quer me soltar. Porque isso? Já faz tanto tempo, vai ser feliz, para de remoer o que já foi. Você mesmo pediu o fim, porque agora um recomeço? Me deixa ser feliz também, eu quero conhecer o mundo, eu quero viver. Você vai ver, tem gente mais legal que eu por ai, as pessoas são diferentes, você vai encontrar um sorriso mais bonito que o meu, pode acreditar.
Falar em sorriso eu não sei que encanto você viu nos meus dentes tortos, apesar de agora estarem alinhados por conta do aparelho. O meu carinho também não é o melhor, você merece mais. Minha voz não conforta ninguém, nem mesmo você. Eu sou irritante, eu gosto de irritar. Minhas brincadeiras também não agradam, e eu não tenho unha pra te arranhar.
Você nunca me elogiou quando eu peguei o violão pra tocar e cantar pra você, não devia gostar disso também. O que você vê em mim? Meu estilo você também não aprova, sou muito masculina e não aceito mudança. É sou assim mesmo.
Me explica que graça tem agora me prender aqui no escuro, no frio, se você não vai me ajudar, não vai ficar comigo.  Eu não quero ficar presa aqui, eu não agüento mais esse inferno. Para de querer me prender, se você não me quer! Entenda de uma vez por todas que a vida continua, eu não sou tua, quando eu fui você não quis, não cuidou.
Eu tracei o meu caminho agora, sem você, sem ninguém, e você precisa fazer o mesmo. Eu não sou nenhum animal pra ter que ficar presa numa jaula, nem agressiva pra não poder ter nem uma simples companhia.
Eu não quero mais morar aqui, me deixa sair, por favor.

3 comentários: